A implementação do BIM já é uma realidade em diversos países e, no Brasil, vem acontecendo gradualmente, por meio do Decreto n. 9.377, de 17 de maio de 2018. O Building Information Modeling ou Modelagem de Informação da Construção, em português, é uma metodologia de criação de modelo virtual com dados técnicos de uma edificação. Ele integra dinâmicas de políticas, processos e tecnologias que envolvem os passos de um projeto.

Mas, para que ela dê resultado positivo, é necessário evitar alguns erros. E é sobre eles que falaremos neste artigo. Continue a leitura e saiba quais ações você não deve cometer para fazer a implementação BIM na sua empresa.

Conheça 5 riscos que podem sabotar a implementação BIM

É importante, primeiramente, conhecer com detalhes, o que se trata essa metodologia. Essa é uma forma de evitar que alguns erros aconteçam. Para ajudá-lo, separamos aqui 5 riscos que podem sabotar esse processo de implantação BIM no seu negócio. Confira quais são.

1. BIM não deve ser visto como processo externo

Como mencionamos, o BIM é um método e, por isso, a implementação deve ser enraizada em toda a estrutura da empresa. Desde a direção até os trabalhadores da obra. Sabe-se que quando essa metodologia é adotada desde as cadeias superiores, tende a dar muito mais certo!

Além disso, é muito importante oferecer treinamentos avançados a toda a equipe. Assim, todos terão conhecimento e conseguirão realizar o trabalho integrado.

2. Organização deve buscar mudança de mindset

Mesmo com a obrigatoriedade, para a implementação desse método precisa acontecer uma verdadeira mudança na cultura da organização. Por isso, é necessário promover um novo mindset na empresa, afinal, não acontecerá mudança efetiva se ela não atingir a todos. Isso porque a sua equipe é agente dessa transformação, pois a tecnologia e os processos não vão atuar sozinhos na implementação BIM.

3. Empresas precisam realizar diagnóstico prévio

Outro erro comum na implantação BIM é adotá-lo sem realizar um diagnóstico do quadro atual da empresa. Para isso, é necessário reunir informações que contenham um parecer completo sobre a qualificação da equipe e qual a estrutura técnica atual.

Igualmente, é preciso saber como são os processos, o nível de documentação e boas práticas já consolidadas pela instituição. Dessa forma, será possível realizar uma análise completa sobre o negócio para, assim, implantar mais adequadamente o BIM.

4. Mudança de software sem estratégia

Um equívoco que acontece com muitas empresas da área de arquitetura e engenharia é o fato de mudar de software sem definir um escopo para a implantação BIM. E isso, muitas vezes, dá-se porque alguma outra instituição a convence de que é preciso haver essa troca.

Porém, essa mudança só deve ocorrer após efetuado o diagnóstico para, então, existir uma tomada de decisão mais correta. Além disso, é preciso criar um plano de implantação da metodologia, para realizá-la mais assertivamente. Esse documento funcionará como um roteiro a ser seguido e deve indicar todas as dimensões a serem observadas. Assim, será possível adquirir a plataforma ideal de acordo com a necessidade de cada escritório.

5. Resultados devem ser monitorados e mensurados

Assim como em outras estratégias, é fundamental monitorar e mensurar resultados de todos os projetos. E muitas empresas cometem esse erro de não realizar a análise.

É fundamental acompanhar esses números para entender e visualizar quais os ajustes necessários dentro do seu negócio. Claro que cada modelo é diferente, então é preciso permitir a adaptação da metodologia aos novos cenários.

No artigo de hoje, você pôde conhecer alguns dos riscos que podem sabotar a implementação BIM no seu escritório. Se ainda não iniciou esse processo, é muito importante ler, também, o artigo: Decreto BIM: como ele pode impactar a sua empresa?

Deixe seu comentário